Muito se houve falar em hackers tanto em sites jornalísticos, e-mails que dão alertas e na televisão. Mas não divulgam realmente o que é um hacker. A definição é que  hackers são indivíduos que elaboram e modificam software e hardware de computadores, seja desenvolvendo funcionalidades novas, seja adaptando as antigas.Os hackers utilizam todo o seu conhecimento para melhorar softwares de forma legal. Eles geralmente são de classe média ou alta, com idade de 12 a 28 anos. Além de a maioria dos hackers serem usuários avançados de Software Livre como os BSD Unix (Berkeley Software Distribution) e o GNU/Linux. A verdadeira expressão para invasores de computadores é denominada Cracker e o termo designa programadores maliciosos e ciberpiratas que agem com o intuito de violar ilegal ou imoralmente sistemas cibernéticos.

 

 Assim Paginas são invadidas por Crackerso tempo todo. Alguns motivos óbvios são :

  • utilizar seu computador em alguma atividade ilícita, para esconder a real identidade e localização do invasor;

  • utilizar seu computador para lançar ataques contra outros computadores;

  • utilizar seu disco rígido como repositório de dados;

  • destruir informações (vandalismo);

  • disseminar mensagens

 

 

Entre todas as invasões de Crackers divulgadas pela mídia a mais assustadora para o público em geral é a que modifica páginas de uma empresa na Internet. Conseqüentemente é o tipo de invasão mais divulgado, principalmente porque a empresa não tem como esconder os fatos, atitude padrão nas invasões internas. Parte do motivo para não se notificar invasões é o comprometimento da imagem da vítima porque denota uma falta de cuidado com seu sistema de informação.

Não há legislação específica no Brasil para punir defacing. "Pode configurar crime de dano, como previsto no artigo 163 do Código Penal, com pena de detenção de um a seis meses ou multa, podendo ser agravado se for contra patrimônio do Estado", afirmou.

"Dependendo do que escrever no site, o hacker também pode responder judicialmente por calúnia, difamação e injúria".

 

Dicas para evitar o ataque de crackers:

 Saia usando Logout, Sair ou equivalente

Ao acessar seu webmail, sua conta em um site de comércio eletrônico, sua página no Orkut, seuhome banking ou qualquer outro serviço que exige que você forneça um nome de usuário e uma senha, clique em um botão/link de nome LogoutLogoffSairDesconectar ou equivalente para sair do site. Pode parecer óbvio, mas muita gente simplesmente sai do site fechando a janela do navegador de internet ou entrando em outro endereço. Isso é arriscado, pois o site não recebeu a instrução de encerrar seu acesso naquele momento e alguém mal-intencionado pode abrir o navegador de internet e acessar as informações de sua conta, caso esta realmente não tenha sido fechada devidamente.

2 - Crie senhas difíceis de serem descobertas

Não utilize senhas fáceis de serem descobertas, como nome de parentes, data de aniversário, placa do carro, etc. Dê preferência a seqüências que misturam letras e números. Além disso, não use como senha uma combinação que tenha menos que 6 caracteres. O mais importante: não guarde suas senhas em arquivos do Word ou de qualquer outro programa. Se necessitar guardar uma senha em papel (em casos extremos), destrua-o assim que decorar a seqüência. Além disso, evite usar a mesma senha para vários serviços.

3 - Mude a sua senha periodicamente

Além de criar senhas difíceis de serem descobertas, é essencial mudá-las periodicamente, a cada três meses, pelo menos. Isso porque, se alguém conseguir descobrir a senha do seu e-mail, por exemplo, poderá acessar as suas mensagens sem que você saiba, apenas para espioná-lo. Ao alterar sua senha, o tal espião não vai mais conseguir acessar as suas informações.

4 - Use navegadores diferentes

Se você é usuário do sistema operacional Windows, talvez tenha o hábito de utilizar apenas o navegador Internet Explorer. O problema é que existe uma infinidade de pragas digitais (spywares, vírus, etc) que exploram falhas desse navegador. Por isso, uma dica importante é usar também navegadores de outras empresas, como o Opera e o Firefox, pois embora estes também possam ser explorados por pragas, isso ocorre com uma freqüência menor neles. Se ainda assim preferir utilizar o Internet Explorer, use um navegador alternativo nos sites que você considerar suspeitos (páginas que abrem muitas janelas, por exemplo).

Mas informações podem ser vistas no site http://www.anti-invasao.com